Buscar
  • Nai Rodrigues

O esteriótipo da feminilidade


Feminilidade. Sempre que eu ouvia essa palavra, a primeira imagem que me vinha a cabeça eram aquelas moças extremamente delicadas, silenciosas, tranquilas, extremamente virtuosas, altamente prendadas, com uma excelente bagagem literária, etc.


E, por pensar assim, eu me sentia absolutamente frustrada, porque eu sempre fui mais expansiva, meio atrapalhada, falante, agitada, nunca liguei muito para roupas, etc. Era totalmente o oposto daquela imagem que tinha criado e, por isso, pensava que nunca conseguiria ser realmente feminina, ou pior: que teria que mudar completamente a minha personalidade. Apesar de querer muito alcançar esse nível de feminilidade projetada por mim, eu me sentia completamente contrariada, porque sentia que teria que deixar de ser eu mesma. Como eu poderia fazer isso?


Talvez você esteja passando por isso também, de se ver perdida, de não saber por onde começar a ser feminina. "Mas eu vou ter que mudar todo o meu guarda roupa?", "Mas eu vou ter que viver tão calada?", "Gente, eu nunca vou conseguir essa delicadeza toda".


O que eu percebi, depois de muito refletir sobre isso, é que eu tinha entendido a feminilidade de maneira completamente errada. Pensava em alguém feminina como uma boneca de porcelana e ao final, sem personalidade, sem características próprias. Mas a feminilidade é totalmente o oposto disso.


Ser feminina é realçar quem você realmente é. A feminilidade te ajuda a ser, como se costuma dizer, "a melhor versão de si mesma". Para isso, eu te garanto que sim, você vai ter que mudar, mas não para um esteriótipo criado na sua cabecinha, mas para uma "você melhorada". Quando nos decidimos por sermos mais femininas, escolhemos encontrar a nossa verdadeira identidade e personalidade, encontrar o desejo de Deus para nós enquanto mulheres.


Sim, você vai ter que mudar. Mas essa mudança não será algo ruim, pelo contrário, será algo desejado por você, pois a cada passo dado, você se sente mais você - e digo isso por experiência própria -, e isso te torna mais e mais feliz, porque se percebe a vontade de Deus na sua vida.


Uma coisa que tem me ajudado muito é conhecer a história de várias santas, que foram extremamente femininas, de personalidades absolutamente distintas, mas todas viveram a vontade de Deus em suas vidas. No "catálogo de santas", temos Santa Teresinha do Menino Jesus, que era de uma personalidade mais delicada e dócil; Santa Teresa de Jesus, que era mais direta e firme em seus modos; Santa Joana d'Arc, que liderou exércitos e foi para a guerra e muitas outras. Além disso, encontramos as diferentes mulheres da Bíblia, como Rute, Ester, Sara, etc.


E como referências mais próximas, temos mulheres presentes nas redes sociais como a Dea Camargos, a Rayhanne Zago, Sâmia Marsili, Camila Abadie, Anna Cenci, Nathália Dutra, Ana Lídia Lopes, etc. São todas mulheres que buscam ser femininas, que tem o desejo e empenho de serem santas, mas que possuem personalidades absolutamente diferentes.


A verdade é: ser feminina te ajuda a ser santa. Te mostra o que deve ser mudado, te ajuda a ampliar e a usar bem o que você tem de bom, os dons dados por Deus.


O meu conselho então é: seja feminina, seja mais você e, assim, seja santa!


Com carinho,

Nai.




0 visualização

©2020 por De menina a mulher. Orgulhosamente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now